MOVIMENTO MOLEQUE NA RESISTÊNCIA CONTRA A VIOLÊNCIA DO ESTADO

Compartilhe esta página:
Twitter
Visit Us
Follow Me

⚠️A violência do Estado mata e fere de diversas formas. A morte de jovens também causa ferimentos profundos nas mães. Mas essas mães transformam todo o sofrimento em luta pela justiça e pelo fim dos assassinatos em seus territórios.

➡️Mônica Cunha é uma dessas mães que teve seu filho Rafael da Silva Cunha assassinado pelo Estado. Ela entrou para a resistência contra a violência estatal na época em que Rafael ainda tinha 15 anos e estava no sistema DEGASE (Departamento Geral de Ações Socioeducativas).

Tendo seu filho na condição de autor de ato infracional, Mônica teve contato com a realidade desses centros do DEGASE e se indignou com a situação na qual seu filho era submetido. Ela se tornou aprofundou nos estudos do Estatuto da Criança e do Adolescente, o ECA, e aprendeu os direitos que Rafael e os outros autores de atos infracionais tinham.

➡️Ela mobilizou outras mães a conhecer os direitos e criou o Movimento Moleque para disseminar o conhecimento e fortalecer as mães que têm seus filhos dentro do sistema DEGASE.

⚠️Rafael saiu do DEGASE, mas não pode viver sua vida plenamente, já que com 20 anos foi executado por policiais civis no bairro Riachuelo.

➡️O Movimento Moleque foi acolhido pela Rede de Comunidades e Movimentos Contra a Violência, na qual Monica trabalha. A Rede surgiu a partir da Chacina no Morro do Borel que aconteceu há 17 anos e vitimizou 5 jovens.

As mães e familiares das vitimas se uniram e criaram a Rede que, na época, foi chamado de Posso Me Identificar. Hoje, a organização atende vítimas e mães e familiares de vítimas da violência do Estado por todo o estado do Rio de Janeiro.

➡️Mônica é um exemplo das diversas redes de apoio que mulheres criaram após sofrerem com a violência do Estado. As mulheres estão sempre em movimento em busca de fortalecimento e justiça.

CHEGA DE VIOLÊNCIA DO ESTADO!✊🏽

Por Mim, Por Nós, Por Todas!💪🏽

Fonte: https://rioonwatch.org.br/?p=18634

One thought on “MOVIMENTO MOLEQUE NA RESISTÊNCIA CONTRA A VIOLÊNCIA DO ESTADO

  1. Luzia Nascimento

    Boa tarde
    Estou fazendo um trabalho de faculdade sobre o movimento moleque. Gostaria de saber se existem em outras cidades do Brasil, esse movimento criado pela Mônica ou se somente no rio de Janeiro.

    Att.

    Reply

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

ÚLTIMAS POSTAGENS

CATEGORIAS

Tags

Page Reader Press Enter to Read Page Content Out Loud Press Enter to Pause or Restart Reading Page Content Out Loud Press Enter to Stop Reading Page Content Out Loud Screen Reader Support